RSS

Apenas demagogia eleitoreira

09 Maio

A questão das cotas em universidades federais é apenas um exemplo de como o poder público usa a seu favor o resultado a que deu causa.

Nos anos 70, as escolas públicas eram as melhores. Havia o Exame de Admissão para preenchimento das vagas e os alunos que não logravam aprovação eram obrigados a pagar seus estudos em escolas particulares.

Naquela época, o Exame Vestibular destinava-se a selecionar, entre os alunos egressos das escolas públicas, os que se destacavam para suprir as vagas nos diversos cursos. Pouquíssimos alunos de escolas particulares conseguiam passar no vestibular.

O que aconteceu com o Brasil nesses 40 anos?! A situação se inverteu completamente!. Qualquer aluno mediano luta por uma bolsa de estudos numa escola particular e os pais que possuem o mínimo de condições financeiras pagam os estudos dos filhos. Dizer que seu filho estuda em escola pública é quase vergonhoso! Como – a partir de agora – entrar numa universidade federal através das cotas passará a ser.

O resultado da votação dessa lei destina-se unicamente a angariar votos das classes envolvidas, que vem sofrendo desde a infância com a ausência da formação básica, da estrutura educacional necessária a desenvolver o pensamento, a autodeterminação. Ou seja, ausência de qualquer mecanismo que possibilite escolher seus representantes com consciência.

Porque se fosse a intenção dos representantes dessas minorias contribuir para a igualdade social e intelectual, a exigência não seria de cotas em universidades, mas cotas em escolas particulares, desde a mais tenra infância. Ou, melhor que isso, escolas públicas, senão melhores, pelo menos com qualidade igual às particulares.

Mas isso demanda tempo, isso é um investimento em longo prazo e as eleições estão aí e o mandato deles é de 4 anos. Não existem programas do governo para além das eleições, cada um defende o seu e ninguém pensa no Brasil, muito menos nos brasileiros.

Investir na infância significa jogar dinheiro fora em quem poderá votar apenas daqui a uns 9 anos e, pior, votará com consciência e, os tais representantes sabem, não votará neles!!

Então, o mais fácil é garantir os votos agora e deixar o problema para os outros.

O que as minorias não percebem é que não foi uma vitória. Foi um prêmio de consolação com uma bomba relógio acoplada.

Vão entrar na universidade, mas não conseguirão sair!

Afinal, os outros que lograram melhores notas no ENEM, que entraram pela lei natural dos melhores vencem, estão aptos a cursar as matérias, possuem condição de obter a média necessária para aprovação. E os outros, sem a base necessária?! Irão reprovar?! Ou serão criadas médias de aprovação distintas?! A média 6 dos alunos, para os cotistas será qual?! E, no caso dos alunos de medicina, haverá cotas também na residência?!

O que fica claro é que os senadores e deputados, juntamente com o governo, apenas se livraram da pressão, da necessidade de “mostrar serviço”. Ganharam os votos dos coitados que não perceberam o presente de grego que receberam e passaram o problema para quem estiver no poder quando a bomba estourar – ocasião em que estarão gozando de uma aposentadoria bem remunerada.

Aysha

 
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: