RSS

O Rei da Cocada Preta – parte 29

06 Fev

Adepto ao primeiro mandamento de Cocada Preta, criado pelos tomadores de café com leite, Wenceslau B. Gomes, se eterniza como o nono mandatário desse imenso paraíso.

Não importava o que ele faria ou o que ele deixaria de fazer. O que importava para os gomistas (torcedores fanáticos do presidente), era soltar o grito mudo e dar adeus ao pé do ouvido de Hermes da Fonseca.

Porém, contudo, entretanto , no dia de sua posse, quando Gomes desfilava pelas ruas no único Aurora Safety Car, uma jaca assassina se lançou contra ele.

Conhecida como a jaca do presidente, a fruta virou polêmica. A esfera poderia estar carregada com micro explosivos? A jaca que não era uma bola, pois a bola é um símbolo da nossa evolução e a jaca não; explodiria os miolos do Presidente? Ninguém nunca soube.

Jacas à parte, Wenceslau B. Gomes carinhosamente chamado, Lalau pelas amantes mineiras, estava disposto a colocar seu nome na história.

E assim aconteceu….

A peleia estava bombando na Europa. E a família Gomes, já sabia dos acontecimentos antes mesmo de tudo acontecer.

Alguns meses antes de Lalau B. Gomes se tornar presidente; na longínqua Europa, um império vinha arquitetando um plano falível para “zombar” do império vizinho.

Já que, não havia nenhum novo acontecimento acontecendo e como não havia nenhuma perspectiva de melhores salários; um certo capitão sérvio, entediado com a pasmaceira e monotonia, sabendo que sua esposa se encontrava em perpétua menopausa, contratou o fiel servo da família Adams para passar um trote no príncipe herdeiro do império austro-húngaro.

Mãozinha o fiel cinco dedos, envia uma carta à Gomes, contando detalhes do contrato, mas o tranquiliza dizendo que ninguém sairia machucado.

Gomes conta sobre o trote a Morticia. Morticia passa um telefone sem fio para todos os Gomes do Planeta, contando os futuros acontecimentos da Europa.

Porém, no dia seguinte, o tiro saiu pela culatra.

Erroneamente citado como o “Coiso” e integrante de sociedade secreta chamada Mão Negra; o inocente mãozinha sem visão, com uma pistola modelo FN em punho, mata o herdeiro e jamais imperador do império austro-húngaro. Iniciando assim, um conflito jamais visto nesse Planeta.

Embora Lalau B. Gomes, não ter nada a ver com isso, teve receio de fazer parte da famosa grande guerra, já que seu sobrenome poderia ser vinculado à família de mãozinha.

A Inglaterra, maior agiota da oligarquia café com leite, aceitou prolongar os prazos das dívidas, caso Cocada Preta aceitasse fazer parte da tríplice vencedora.

É importante lembrar que, bruxas, feiticeiras, profetas e demais ETs, com poderes sobrenaturais faziam previsões assustadoras envolvendo a Áustria/Hungria.

Zora-Inara, em uma de suas viagens inter-espirituais, afirmou que do império austro-húngaro nasceria e seria criado um futuro ditador muito pior que o nanico Napo-leão Bomemparte e esse, tentaria exterminar toda uma etnia.

Rasputin, o auto proclamado homem santo da Rússia, assim como Zora-Inara, cantavam essa mesma pedra aos quatro cantos da terra, lembrando que, naquela época o Planeta se encontrava na forma ovalada.

Sabendo sobre esse fato futuro, detalhado inúmeras vezes por Rasputin e Zora-Inara, mexia com o imaginário dos europeus. Foi esse o motivo que fez o capitão sérvio trair o pequeno mãozinha, pois naquela pistola não haviam balas 7 belo e sim, balas que matam.

Enfim, caso não tivesse acontecido da maneira como tudo aconteceu, tudo e ou nada aconteceria, pois assim as contas de Cocada Preta puderam ser renegociadas. E em 1917, o presidente dessa república, envia tropas do nosso exército, da marinha e aeronáutica para participar do maior e mais abrangente acontecimento das nações nada unidas e assegura futuros novos empréstimos para Minas, São Paulo e Rio de Janeiro.

Quando as tropas cocadeses desembarcaram na Europa exibindo todo nosso arsenal bélico, as bases da tríplice oponente, estremeceram.

Nossos caminhões e tanques lançavam bombas com efeitos pra lá de especiais. Disparadas, liberavam uma fumaceira preta tóxica, fazendo o dia se tornar escuro como o breu.

Contudo, a tal fumaça acabou corroendo e danificando todo nosso armamento que se tornou dispensável para uma vitória.

Quando a guerra acabou, ingleses sem coração, despejaram no navio cisne branco, cinco casais de camundongos infectados com um novo tipo de vírus mutante, mais conhecido como “mata velho”.

E enquanto os marinheiros desembarcavam nos portos da amada Pátria, o “mata velho” se alastrava feito rojão.

Faltavam apenas três meses para Lalau B. Gomes deixar seu mandato. Sendo assim, o vírus, não era mais problema dele.

Aguarde a lenda continua…

Madame Bê

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 02/06/2022 em Brasil

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: