RSS

Arquivo da Categoria: Brasil

NOVA DESCOBERTA

Você sabe da nova descoberta do governo do Presidente Bolsonaro?

Que o trabalhador mais novo e o mais velho do mundo estão no Brasil. E sabe como foi descoberto tal façanha?

Realizando um recadastramento de todos os pescadores que recebem o SEGURO DEFESO, que é um salário pago pelo governo no período da desova, quando eles não podem pescar, e tal salário ainda conta como tempo para a aposentadoria.

Aí pasmem os senhores, pois o pescador mais novo tem 7 anos de idade e o mais velho tem 148 anos de idade. Atenção, não errei não, é 148 anos mesmo. Caramba, e o cara ainda tá “pescando”.

CALMA, TEM MAIS: foi descoberta uma “colônia de pescadores” em pleno sertão onde não tem água nem pra beber. Também em Brasília, existem fantásticos 40 mil pescadores cadastrados recebendo, em pleno cerrado, sem um rio que passe por perto… Até na Guiana, que nem território brasileiro é, existem pessoas recebendo esse benefício.

AGORA, você acha que se esse tipo de MANOBRA para comprar votos continuasse, esse país iria pra frente?

Com o recadastramento geral,certamente haverá muitos gritos da petezada. E ainda vem mais coisa por ai…

(ESTÁ NO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA)

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 05/10/2019 em Brasil

 

Pobre povo brasileiro

Vejam essa notícia senhoras e senhores, principalmente aqueles que se esborracharam gritando sobre os males da privatização, logo após o acidente em Brumadinho. Passar vergonha é algo nato pra esquerda.

“Vamos “reprivatizar” a Vale. Vamos colocar todo mundo para vender esse troço todo. Vamos tirar as patas do mercado”, (…) Fonte G1

Benjamin Steinbruch  dono da têxtil Vicunha em  1993 comprou a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) por 30 vezes menos que seu valor com financiamento do BNDES.

Em 1997, Benjamin Steinbruch comprou a Vale do Rio Doce (CVRD) dando como garantia a própria CSN que ele havia comprado e ainda estava pagando, com mais financiamento do BNDES. 

Em 2005, a dívida do tal Benjamin Steinbruch era enorme com o BNDES. Então o presidente do BNDES fez um acordo e criaram uma “sociedade de propósito específico” (SPE) com fundações estatais Previ, Funcef e Petros, comprarando as ações da CSN na Vale.

Somadas as ações da Vale pertencentes ao BNDES e as da sociedade das Fundações, o governo passou a ter novamente a maioria das ações da Vale. 

Ou seja, a Vale voltou a ser uma empresa estatal. Mas para isto foi necessário entregar a CSN, de graça, para o Steinbruch.

Pra coisa não ficar tão evidente, passaram a direção da empresa para o segundo maior acionista, o Bradesco.

Quem lembra da gravação  feita por Joesley Batista em 2017? Na época, Aécio pedia R$ 2 milhões para Joesley para pagar o advogado Alberto Toron, coincidentemente advogado da Vale do Rio Doce. Na gravação, Aécio deixou claro que indicaria o presidente da Vale.

-“nós fizemos um treco lá que em tese é independente, mas na prática o candidato da gente acaba ganhando’”.

Nosso País estava e ainda está mais podre que a lama de Mariana e Brumadinho. E mesmo assim, vejo aqueles que insistem em dizer: “Lula livre”, “ele não”, “Bozo”, “eles querem tirar tudo dos pobres”, “fascistas não passarão”, e por aí vai…

Ou esse pessoal acorda pra vida e clama pela reforma que o Moro quer implantar pra que todos eles possam ver o sol nascer quadrado, ou vamos continuar eternamente sendo roubados por essa turma de delinquentes que há anos está no poder. Lembrando que os caras do STF estão fechados com esses delinquentes.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/23/2019 em Brasil

 

Síria, um dos países mais corruptos do mundo

De pai para filho.

De ditador para ditador.

Ambos do Partido Socialista Árabe Baath da Síria.

Hafez al-Assad – presidente da Siria entre 1971 até 2000.

Seu filho, Bashar al-Assad, está no poder desde o ano 2000.

Em 2012, o jornal britânico ‘The Guardian’ estipulou que a fortuna da família Assad estava em torno de 122 bilhões de dólares.

Bashar al-Assad, ordenou uma repressão em massa e cercos militares contra população que desejava um País mais democrático. A revolta se transformou em uma guerra civil e com o passar do tempo passou para uma guerra religiosa com diversas facções. O conflito acabou atingindo países como Iraque e o Líbano atiçando a rivalidade entre xiitas e sunitas.

Em 2013, o autoproclamado estado islâmico começou a reenvindicar territórios, atacando tanto os apoiadoros como os contrários a Assad. Diversos países do mundo árabe mais os países da OTAN iniciaram uma intervenção armada contra os extremistas. Outras nações como a Rússia e o Irã intervieram a favor do regime de Assad. O resultado acabou sendo a morte de pelo menos 370.000 mil pessoas, segundo o observatório sírio para os direitos humanos e, uma onda migratória de 5,6 milhões de pessoas.

Bashar al Assad agora tem um país em ruínas que ninguém quer ajudar a reconstruir, pelo menos enquanto ele estiver no poder, já que muitos países ajudaram com doações bilionárias à reconstrução do Afeganistão e do Iraque e viram suas contribuições nos bolsos de indivíduos que eram ditadores iguais ao ditador da Síria.

De quem é a culpa do sofrimento do povo sírio?

Pra mim, sem sombra de duvida, a culpa é desse maldito socialismo/comunismo/marxismo/nazismo/fascismo e o escambau, onde todos são ditadores e se instalam pra trazer, pobreza, miséria, destruição e mortes.

Tudo o que você pensa que o governo te dá ele tira de outro, até conseguir conquistar o maior número de pessoas. Aí ele cria centenas de estatais, compra políticos, compra a justiça, recolhe tuas armas e aos poucos muda as regras do País, até conseguir ficar indefinidamente no poder. E então vem a repressão, a miséria, a destruição e as mortes.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/21/2019 em Brasil

 

O infinito período especial dos cubanos

O governo cubano tem uma longa história de “iniciativas” para resolver o problema sexagenário de comida na ilha. A lista de estratégias para driblar a fome em Cuba é tão extensa, quanto a história de fracassos. Pelo que tudo indica a situação por lá está quase tão desesperadora quanto a dos anos 90, graças a crise da Venezuela e o esfriamento das relações com o Brasil.

Quando Castro promulgou a nova constituição, o discurso teve como protagonista a tensa situação econômica que assola a ilha. Ele pediu que à população, “esteja preparada para a pior variante” da economia e comentou que “a situação poderia agravar-se nos próximos meses”.

Provavelmente foi por essa razão, que o comandante Guillermo García Frías explicou a nova estratégia: a criação de avestruzes, já que segundo ele, “rendem mais que as vacas”.

O pronunciamento sobre a mais nova “idéia” para a escassez de alimentos, gerou além de insultos, uma enxurrada de memes nas redes sociais.

Pelo que parece o humor ainda é o melhor remédio!

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/21/2019 em Brasil

 

Feliz Páscoa a todos ♥️

Reza a lenda que mãe muito pobre queria dar alguma coisa para seus filhos no dia de páscoa. Procurou várias maneiras, pensou em muitas possibilidades… mas os poucos recursos barraram suas pretensões. Porém, ao olhar para alguns ovos de galinha, teve uma idéia: cozinhou e pintou cada um deles com cores vivas para dar de presente às crianças. Assim, na manhã da páscoa, acordou mais cedo e arrumou os ovos em um ninho improvisado no fundo do quintal. Quando as crianças acordaram e finalmente decidiram ir brincar no quintal, avistaram os ovos coloridos. No mesmo instante, porém, um coelho que passava por ali, assustou-se com o barulho e correu saltitando por entre os ovinhos. “Ovos coloridos e tão diferentes só podem ter sido trazidos pelo coelho”, pensaram as crianças e, assim nasceu a crença de que o coelho entrega os ovos na páscoa.

https://youtu.be/TFdNdv1JiVI

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/20/2019 em Brasil

 

O partido de estimação de Moçambique

Moçambique tornou-se independente de Portugal em 1975. Após a independência, o poder passou a ser controlado por marxistas/comunistas aliados aos países do bloco socialista. Entre 1977 a 1992 o País mergulhou em um conflito cívil. De um lado guerrilheiros (FRELIMO) do movimento comunista contra guerrilheiros da (RENAMO) movimento de resistência ao comunismo. No conflito um milhão de pessoas morreram de fome, muitos sofreram amputações por minas terrestres e outros tantos deixaram o País.

Entre 1975 até 1986, (11 anos) o presidente Samora Moisés Machel do partido comunista presidiu o país até sua morte. Seu sucessor Joaquim Chissano, também do partido comunista, presidiu o País até 2005 (18 anos). Depois foi a vez do comunista Armando Guebuza, (10 anos). Em 2015 assume Filipe Nyusi e é claro, comunista, está no poder até hoje.

Moçambique diz precisar de 113 milhões de euros para as próximas eleições que deverá acontecer no 15 de outubro de 2019. A pergunta que fica é: Pra quê? Já que outro comunista irá se apropriar do poder.

Quase todas as dívidas antigas que Moçambique contraiu ao longo dos anos, foram perdoadas, incluindo aí a dívida que o País tinha com o Brasil. Escândalos de corrupção, dívidas ocultas, e mais dívidas foram firmadas pelo governo de forma sigilosa, o que elevou a dívida para mais de 135% em 2017.

O país é um dos piores do mundo pra se viver. Ele é considerado como um dos mais pobres e menos desenvolvidos do mundo. Segundo dados da UNICEF 55% da população vivem abaixo da linha de pobreza. A expectativa de vida é de até 50 anos. A mortalidade de menores de cinco anos é a maior do mundo. Uma em cada duas crianças moçambicanas sofre de desnutrição crônica, responsável por 15% da mortalidade infantil. Cerca de 20% da população é portadora do vírus da AIDS. Moçambicanos tiveram que deixar suas terras na marra para que grandes mineradoras pudessem se instalar.

O que não falta em Moçambique são as ONGs e afins. Todas pedindo dinheiro há décadas para os miseráveis. Cada saber se a maioria delas está ajudando ou enchendo os bolsos, já que nunca há uma melhora na condição do povo.

O que está errado afinal?

Tamanhos de Moçambique

Região afetada pelo ciclone idai

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/18/2019 em Brasil

 

O engodo da educação

Paulo Freire alcançou notoriedade em 1963, com o mutirão de alfabetização em Angicos (RN). O convite partiu do governador, Aluísio Alves pai do ex-deputado Henrique Eduardo Alves, acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro na operação Lava Jato.

Freire ficou famoso por “alfabetizar” pessoas em apenas 40 horas. O então presidente João Goulart, o ministro da Educação, alguns governadores, a imprensa nacional e internacional acharam aqulilo lindo e convidaram Paulo Freire para dirigir o Programa Nacional de Alfabetização.

Em 2 de Abril, aconteceu a quadragésima hora de aula dada e em maio de 1963 houve a primeira greve em Angicos.

Quando foram conferir se haviam aprendido, os alunos não sabiam mais que algumas palavras e frases decoradas. O processo deixou claro que as quarenta horas eram insuficientes para a alfabetização.

Indagado sobre a ineficiência do programa, quando exportado para Guiné-Bissau, o próprio Freire justificou alegando que “não funcionou porque a língua portuguesa seria opressora naquele país”.

Em um País onde 50% da população era analfabeta, essa proposta caiu como uma luva para políticos. Até Freire certa vez confessou que nem método de ensino tinha, embora tenha ficado famoso justamente por deixar pensarem que tinha um.

Eis o que disse em 2007 a viúva do educador, Ana Maria Araújo Freire, sobre o método em uma entrevista a Univali:

“Como a época era de um período de efervescência política pré-revolucionária, que acreditava que o Brasil ia fazer uma revolução mais à esquerda do que vinha sendo sempre ou à esquerda do que sempre conhecíamos na história, difundiu-se que era possível alfabetizar-se em quarenta horas. Na verdade, esse foi o tempo que se levou para que os e as alfabetizandos se apropriassem do mecanismo da articulação das sílabas na formação de outras palavras. Palavras que tinham envolvimento com o questionamento que a sociedade fazia naquele momento histórico e social sobre nosso passado colonial e sob a tutela do capitalismo imperialista”. 

A ideia era, fazer de conta que Freire ensinava, os alunos pensar que estavam aprendendo, enquanto a ideologia marxista era incutida e repassada.

Mesmo assim o cara veio sendo endeusado e tido como o grande “educador”. Seus livros não falam do processo de ensino-aprendizagem, não orientam o professor, não expõem a importância da família e nem sugestões para uma melhoria do cenário educacional. O que ele soube ensinar foi a luta de classes.

Paulo Freire participou da última grande reforma educacional brasileira, ocorrida em 1996 durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Tal reforma deu origem à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, cujos resultados estão aí para todos nós vermos. Nossa educação continua atrasada, doutrinária e fraca.

Pensa pessoal, pensa!

https://youtu.be/Q2bwEHwIWaw

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/16/2019 em Brasil

 
 
%d bloggers like this: