RSS

Arquivo da Categoria: comemoração

Ser Mãe

A primeira vez que você põe seus olhos naquele pequeno bebê, você começa a perceber que uma nova vida depende apenas de ti, e por muito tempo ele será sua melhor companhia. Isso assusta e liberta ao mesmo tempo.

O amor incondicional que cresce em seu coração, liberta você de buscar o amor.

Aterroriza, porque torna você vulnerável a qualquer mágoa ou dor que possa aparecer, isso sem mencionar que em vários momentos aparece no seu subconsciente a possibilidade de que algo possa dar muito errado.

Lentamente você aprende que a sua vida mudou. Você não fará mais as coisas que fazia antes. Você não vai encontrar uma amiga e decidir de imediato tomar um café com ela sem planejar antes. Você não pode se dar ao luxo de sair a noite sem providenciar alguém que fique como babá. Toda sua vida muda. E mesmo assim você deseja estar mais e mais, ao lado daquele bebê.

Tuas necessidades vão ficando pro segundo plano. Não porque você é generosa ou amável, mas porque é isso que significa ser mãe. Na verdade, não há como evitar isso. Quando seu bebê tem fome, você instintivamente o alimenta. Quando seu bebê precisa de fralda nova, você não consegue deixá-lo sujo. Quando seu bebê chora, você trabalha para acalmá-lo.

Você aprende aos poucos que, quando você é mãe, não pode mais ser tão específica sobre as coisas. Você come quando pode e quando tiver tempo. Você faz as unhas e corta o cabelo com menos frequência do que antes, não porque você deixou de ser vaidosa, mas porque se esquece de se importar com sua própria aparência. É mais fácil lembrar quantas fraldas você trocou no dia anterior do que o que você comeu no almoço naquela tarde.

Você vai aprender que ser mãe é tudo que te consome. Você não consegue deixar de ser mãe. E aí está a beleza em ser mãe. A maternidade é uma nuvem que paira sobre você em todos os momentos. Às vezes brilhante, fofa e profundamente inofensiva, outras vezes sombria e sinistra.

Você lentamente aprende que é uma pessoa diferente. E isso é bom. Você continua com seu antigo eu mais a maternidade. Não digo que ser mãe é abandonar todos aspectos da sua antiga identidade, ou se tornar melhor de qualquer maneira. Mas requer fazer escolhas difíceis de aprender. Ela exige que você se desfaça do seu eu antigo, e escolha quais partes dele valem a pena preservar, e quais peças é melhor deixar de lado.

É preciso dar uma boa olhada em nós mesmos, através dos olhos da pessoa que vem programada para nos adorar e imitar cada movimento nosso.

Ter um filho e se amado, nos trará as melhores alegrias e felicidades e para o resto de nossas vidas. E mesmo, aqueles filhos que deixaram suas mães precocemente por um motivo cruel, estarão eternamente em suas melhores lembranças.

Planeje ser mãe. E se o acaso acontecer, deixe que aflore teu instinto.

Seja mãe com responsabilidade!

Desejo a todas as mães que amam incondicionalmente seus filhos de sangue ou adotados um FELIZ DIA DAS MÃES.

Madame Bê

 

Receita para o Dia dos Namorados

dama-e-o-vagabundo

 

Um pacote cheinho de amor.

Um pote de ternura

Muitas doses de paciência

Cem por cento de respeito

Uma pitadinha de romantismo

Uma colher bem cheia de confiança

Um bocado de doação

Uma xícara de paixão

Muitos beijos roubados

Um tantinho de sensualidade

E sexo a gosto

 

Coloque tudo em fogo brando

Misturando aí, anos de felicidade

Feliz dia dos Namorados…

Pra você, pra mim e pra todos aqueles que acreditam que o amor vale a pena.

 

Madame Bê

 

 

A Song for Mama

Boyz II Men’s “A Song for Mama”

Você me ensinou tudo
E me deu tudo
Eu sempre vou mantê-la dentro de mim
Você é a força motriz
Que dirige minha vida
Não há qualquer coisa
Ou qualquer outro que eu possa ser
Eu apenas não sentiria
Se eu não a tivesse do meu lado
Você está lá por mim
Para me amar e cuidar de mim
Quando os céus estão cinzentos
Sempre que eu estou triste
Você sempre está lá
Para me confortar
E ninguém outro pode ser
O que você tem sido pra mim
Você vai ser sempre
Sempre a menina
Da minha vida

Mãe
Você sabe que eu te amo
(Oh, você sabe que eu te amo)
Mãe
Mãe
Você é a rainha do meu coração
Seu amor é como
Lágrimas de estrelas
Mãe eu só quero que você saiba
Seu amor
É o alimento da minha alma

(Sim, é, sim, é, ohhhhh
Sim, é, sim, é, sim, é oohhhh)
Você sempre esteve lá por mim
Sempre esteve em minha volta
Mesmo quando fui ruim
Você me mostrou
O caminho certo
(Sim você faz)
Você sempre me botou pra cima
Quando todos me derrubavam
Você sempre me entendeu
Você me deu forças para continuar
Havia muitas vezes
Olhando para trás
Quando eu estava com medo
Você vinha em minha direção
Dizendo
Que eu poderia fazer qualquer coisa
O que ninguém mais poderia fazer
Por tudo que você tem feito por mim
Você vai ser sempre
Sempre a menina
Da minha vida
(Oooo, oohh)

Eu nunca poderei caminhar
Um dia sem você
Você me preenche
Só de pensar em você
Eu não vou caminhar um dia
Sem a minha mãe

 

 

Panelas falantes

Panelaço-2

Dia do trabalho, será comemorado por aqueles que não trabalham. De cada 100 brasileiros em idade para trabalhar apenas 50 tem trabalho.

Enquanto a maioria dos trabalhadores vão aproveitar o feriado na praia, na serra ou até mesmo em casa, outros que não trabalham vão assistir aos shows pagos pelos que trabalham. Eles têm mesmo é que comemorar, afinal Dilma anuncia reajuste de 10% no Bolsa Família em pleno dia do trabalho.

Entre as entidades que organizam os eventos estão a CUT, a CTB a Intersindical, MST, UNE, MAB e MTST…

Neste dia do trabalho, não haverá pronunciamento, mas isso não quer dizer que as panelas não podem falar.

Madame Bê

 

 

 

 

24 de abril

10929090_10205708592294232_5355089979591288749_n

Chimarrão

Amargo doce que eu sorvo
Num beijo em lábios de prata.
Tens o perfume da mata
Molhada pelo sereno.
E a cuia, seio moreno,
Que passa de mão em mão
Traduz, no meu chimarrão,
Em sua simplicidade,
A velha hospitalidade
Da gente do meu rincão.

Trazes à minha lembrança,
Neste teu sabor selvagem,
A mística beberagem,
Do feiticeiro charrua,
E o perfil da lança nua,
Encravada na coxilha,
Apontando firme a trilha,
Por onde rolou a história,
Empoeirada de glórias,
De tradição farroupilha.

Em teus últimos arrancos,
Ao ronco do teu findar,
Ouço um potro a corcovear,
Na imensidão deste pampa,
E em minha mente se estampa,
Reboando nos confins ,
A voz febril dos clarins,
Repinicando: “Avançar”!
E então eu fico a pensar,
Apertando o lábio, assim,
Que o amargo está no fim,
E a seiva forte que eu sinto,
É o sangue de trinta e cinco,
Que volta verde pra mim.

Autoria: Glaucus Saraiva

 

Renascer

untitled

O mundo em que vivo, celebra a Páscoa como sendo a ressureição de Cristo. Porém, muito antes do nascimento dele, a humanidade já celebrava essa data, como sendo o início da primavera.

Páscoa, descende da antiga babilônia. As lendas e o nome Ishtar se propagaram e se transformaram ao longo do tempo. Conhecida sob vários nomes em diferentes países, Ishtar era uma deusa lunar, a personificação da força da natureza, que tanto dá vida, quanto tira a vida.

Todos os anos em torno do equinócio da primavera as pessoas celebravam a ressureição de Ishtar, no primeiro domingo após a lua cheia. Era a passagem de um tempo de trevas (inverno) para outro de luzes (verão).

Desde os mais remotos tempos até hoje, celebramos a Páscoa como ressureição à vida. Muitos dos símbolos de outrora, são hoje usados para honrar esta época do ano. Ovos, coelhos, flores, guirlandas, celebram a vida que retorna.

Aprecie esta época de renascimento, deixe ir velhos hábitos negativos e formas velhas de pensar. Apesar de o inverno chegar para nós, sabemos hoje que ele faz parte de um ciclo de amadurecimento, crescimento e evolução.

Feliz Páscoa a todos

Madame Bê

 

Etiquetas:

Mulheres

Nós mulheres, somos a cura da humanidade.

Temos a capacidade de nutrir e cuidar dos outros.

Esquecendo muitas vezes de nós mesmas.

Abençoadas, somos verdade e gentileza.

Somos mães, sendo os filhos do nosso ventre ou não.

Verdadeiras, guerreiras, fomos criando nosso espaço.

Aprendemos a trabalhar na terra e nas máquinas.

Sem deixar de ser sedutoras e femininas.

Podemos ser corajosas, fortes e batalhadoras.

Somos tantos adjetivos, mas somos apenas amor.

Parabéns pra nós, mulheres de fibra.

 

Madame Bê

 

Etiquetas:

 
%d bloggers like this: