RSS

Arquivo da Categoria: educação

A Humanidade está gorda

evolution 4

Hoje 40% da humanidade está com sobrepeso ou acima do peso, Nos movemos ao longo dos séculos de áreas rurais para cidades, onde temos alimentos baratos e processados. Não há quase gasto de energia no preparo de nosso alimento. É relativamente fácil ir a um supermercado, encher o carrinho de porcarias fáceis de preparar e comer.

Há 10.000 anos atrás éramos caçadores-coletores, e há até poucos anos atrás nossos ancestrais trabalhavam nos campos. Segundo cientistas nos últimos 100 anos, ficamos mais altos, mais gordos, e vivendo mais tempo do que em qualquer outro momento da história.

A evolução do ser humano vem acontecendo ao longo de toda nossa existência. Somos bilhões, mas… Estamos vendo a água cada vez mais poluída, o solo cada vez mais deficiente, uso exagerado de fertilizantes, entre outras questões.

Precisamos com urgência de outro planeta, igualzinho ao planeta Terra, para podermos continuar e sentar nossas buzanfas em frente aos enormes televisores e devorar toda essa comidinha deliciosa que vem pronta dos super-mercados. Ou….

Madame Bê

 

Canto Alegretense

 

Gaúchos e gaúchas de todas as querências, choram a morte de Nico Fagundes. Deixo aqui registrada minha saudade a esse poeta, músico e tradicionalista gaúcho.

 Não me perguntes onde fica o Alegrete
Segue o rumo do teu próprio coração
Cruzarás pela estrada algum ginete
E ouvirás toque de gaita e violão
Prá quem chega de Rosário ao fim da tarde
Ou quem vem de Uruguaiana de manhã
Tem o sol como uma brasa que ainda arde
Mergulhado no Rio Ibirapuitã
Ouve o canto gauchesco e brasileiro
Desta terra que eu amei desde guri
Flor de tuna, camoatim de mel campeiro
Pedra moura das quebradas do Inhanduy
E na hora derradeira que eu mereça
Ver o sol alegretense entardecer
Como os potros vou virar minha cabeça
Para os pagos no momento de morrer
E nos olhos vou levar o encantamento
Desta terra que eu amei com devoção
Cada verso que eu componho é um pagamento
De uma dívida de amor e gratidão

 

 
 

Ao Presidente Lula

Economia-em-2013

Excelentíssimo Presidente Luiz Inácio Lula da Sila, sua pupila está acabando com o País. Peço encarecidamente que o Sr. dê a ela um rumo. Não é arrochando que um País vai para a frente. O arrocho traz insegurança e faz o povo comprar menos, comprando menos, o mercado tende a encolher e dessa forma o emprego desaparece. Com o desemprego em alta, a miséria volta a bater as portas dos brasileiros. Isso somado a corrupção que bateu na porta dos bilhões, vamos de mal a pior. E tem mais, não posso deixar de mencionar o inchaço da máquina pública. Como irão pagar as contas, já que a arrecadação cairá a cada mês?

 

Vocês realmente querem implantar aqui nessas terras o comunismo? Como irão sustentar tantos brasileiros? O povo brasileiro não é o povo chinês. Nossa cultura é uma cultura de oba oba, carnaval, futebol, praia etc. Não somos um povo obediente, muito menos conservador. Presidente, você fez esse País consumir, deu crédito ao povo, soube administrar e levar os brasileiros no gogó. Foi ovacionado por quase toda população, não vai querer morrer na praia. Comunismo já era, morreu por falta de verba, até Cuba está revendo sua filosofia.

 

Um País pra crescer precisa gerar empregos, e são os empregos que fazem a economia rodar. Quando a economia roda e o povo sai as compras, o dinheiro aparece trazendo mais investimentos. Claro que o Sr. sabe de tudo isso. A minha pergunta é: O Sr. vai deixar o Brasil falir? Espero que não.

 

Governar um País tão grande não deve ser fácil, mas quando o povo está ao lado e apoiando seu Presidente tudo se torna mais fácil. Hoje temos uma ferramenta super importante que é a internet. Imagine grande parte da população conectada aprovando boa parte que seu Presidente acha necessário fazer. Ele não precisaria pagar propina para político corrupto aprovar uma emenda ou uma lei. Com o aval do povo, um Presidente pode por exemplo diminuir pela metade os políticos que só sabem sugar uma Nação. Esse País precisa de um rumo. Do jeito que anda, a coisa só vai piorar.

 

Madame Bê

 
 

Jeitos e Maneiras

Manda-Chuva_ACRIMA20120328_0040_15

Tem uma piadinha que diz mais ou menos assim: Deus fez a Ásia e encheu de terremotos. Deus fez a Europa e encheu de nevascas. Deus fez a América do Norte e encheu de tufões, ciclones. Deus fez o Brasil, e transformou num pais tropical. Então um anjo perguntou pra ele porque isso? E ele respondeu: Você não sabe o povinho que vou colocar ali….

A pergunta que não quer calar: É o povo o retrato do seu governo, ou o governo retrato do seu povo? Não sei a resposta, imagino que nós, o povo, copiamos os passos do governo. Se assim for, a lição de casa está sendo feita com mérito. Ao longo dos anos emburrecemos acreditando que levar vantagem em cima do outro é a melhor saída. O justo o correto não faz parte nosso cotidiano há anos. Viver em uma sociedade onde você pode confiar nos outros é a chave fundamental para o sucesso de um todo. Mas aqui…

Não gosto dessa cultura, onde um quer levar vantagem em cima do outro. O ser correto não nos faz ser “otários”, ele nos faz ser humanos. Seria interessante ter no Brasil um “educadodometro”, toda vez que alguém conseguisse tirar vantagem sobre outra pessoa, teria que pagar R$100,00 de multa. O problema seria alguém criar algum outro tipo de foro privilegiado, aí já viu, né? Deixemos assim, vamos levando, e ver onde vamos parar.

Madame Bê

 
 

Lições

Certo dia, uma mulher avistou um mendigo, sentado numa calçada na Rua..
Aproximou-se dele, e como o pobre coitado, já estava acostumado a ser chacoteado por todos, a ignorou..
Um policia, observando a cena , aproximou-se :
– Ele está a incomodar a senhora?
Ela respondeu:
– De modo algum – eu é que estou tentando levá-lo até aquele restaurante, pois vejo que está com fome e até sem forças para se levantar. O senhor Policia ajuda-me a levá-lo até ao restaurante?
Rapidamente, o policia a ajudou, e o pobre homem, mesmo assim, não querendo ir, pois, não acreditava que isso estava a acontecer!

Chegando ao restaurante, o garçom, que foi atendê-los, disse sem pestanejar :
– Desculpe Senhora, mas ele não pode ficar aqui.. Vai afastar os meus clientes!!!
A mulher abaixou e levantou os olhos e disse:
– Sabe aquela enorme empresa ali em frente? Três vezes por semana, os diretores de lá juntamente com clientes, vêm fazer reuniões neste restaurante, e sei que o dinheiro que deixam aqui, é o que mantém este restaurante . Pois é, eu sou a proprietária daquela empresa. Posso fazer a refeição aqui, com o meu amigo.. ou não?
O garçom fez um gesto positivo com a cabeça, o policia que estava de longe observando ficou boquiaberto, e o pobre homem, deixou cair nesse momento, uma lágrima de seus sofridos olhos.

Quando o garçom, se afastou, o homem perguntou:
– Obrigado Senhora, mas não entendo esse gesto de bondade.
Ela segurou nas suas mãos , e disse :
– Não se lembra de mim, João ?
– Me parece familiar – respondeu – mas não me lembro de onde.
Ela, com lágrimas nos olhos, disse:
– Há algum tempo atrás, eu recém formada, vim para esta cidade… Sem nenhum dinheiro no bolso… Estava com muita fome… Sentei-me naquela praça, aqui em frente, por que tinha uma entrevista de emprego naquela empresa, que hoje é minha. Quando se aproximou de mim, um homem, com um olhar generoso. Lembra-se agora João?
Ele, em lágrimas, afirmou que sim.
– Na época , o senhor trabalhava aqui. Naquele dia, fiz a melhor refeição da minha vida, pois estava com muita fome, e até sem forças. Toda hora, eu olhava para o senhor, pois estava com medo de prejudicá-lo , pois estava ali a comer de graça. Foi quando ví, o senhor a tirar dinheiro do seu bolso e colocar na caixa do restaurante. Fiquei mais aliviada. E sabia que um dia poderia retribuir. Alimentei-me, fui com mais forças para a minha entrevista.
Na época, a empresa ainda era pequena… Passei na entrevista, especializei-me, ganhei muito dinheiro, acabei comprando algumas acções da empresa, e com o passar do tempo, fiquei a proprietária, e fiz a empresa ser o que ela é hoje.

Procurei pelo senhor, mas nunca o encontrei… Até que hoje, o vi nessa situação. Hoje, o senhor não dorme mais na rua! Vai comigo para a minha casa… Amanhã, compraremos roupas novas, e o senhor vai trabalhar comigo!
Se abraçaram, a chorar.
O policia, o garçom e as demais pessoas, que viram essa cena, emocionaram-se diante da grande Lição de vida, que tinham acabado de presenciar!!!

MORAL DA HISTÓRIA:
Hoje sou eu a precisar . . . amanhã podes ser Tu !
Faz sempre o BEM… Um dia ele retornará em dobro para Ti !

 
 

Sobre a atual vergonha de ser brasileiro

 

Affonso Romano de Sant’Anna

Que vergonha, meu Deus! ser brasileiro
e estar crucificado num cruzeiro
erguido num monte de corrupção.
Antes nos matavam de porrada e choque
nas celas da subversão. Agora
nos matam de vergonha e fome
exibindo estatísticas na mão.
Estão zombando de mim. Não acredito.
Debocham a viva voz e por escrito
É abrir jornal, lá vem desgosto.
Cada notícia é um vídeo-tapa no rosto.
Cada vez é mais difícil ser brasileiro.
Cada vez é mais difícil ser cavalo
desse Exu perverso
nesse desgoverno terreiro.
Nunca vi tamanho abuso.
Estou confuso, obtuso,
com a razão em parafuso:
a honestidade saiu de moda
a honra caiu de uso.
De hora em hora a coisa piora:
arruinado o passado,
comprometido o presente,
vai-se o futuro à penhora.
Valei-me Santo Cabral
nessa avessa calmaria
em forma de recessão
e na tempestade da fome
ensinai-me a navegação.
Este é o país do diz e do desdiz,
onde o dito é desmentido
no mesmo instante em que é dito.
Não há lingüista e erudito
que apure o sentido inscrito
nesse discurso invertido.
Aqui o discurso se trunca:
o sim é não. O não, talvez.
O talvez, nunca.
Eis o sinal dos tempos
este o país produtor
que tanto mais produz
tanto mais é devedor.
Um país exportador
que quando mais exporta
mais importante se torna
como país mau pagador.
E, no entanto, há quem julgue
que somos um bloco alegre
do ‘‘Comigo Ninguém Pode’’
quando somos um país de cornos mansos
cuja história vai dar bode.
Dar bode, já que nunca deu bolo,
tão prometido pros pobres
em meio a festas e alarde
onde quem partiu, repartiu
ficou com a maior parte
deixando pobre o Brasil.
Eis uma situação
totalmente pervertida
— uma nação que é rica
consegue ficar falida,
o ouro brota em nosso peito,
mas mendigamos com a mão,
uma nação encarcerada
que doa a chave ao carcereiro
para ficar na prisão.
Cada povo tem o governo que merece?
Ou cada povo
tem os ladrões a que enriquece?
Cada povo tem os ricos que o enobrecem?
Ou cada povo tem os pulhas
que o empobrecem?
O fato é que cada vez mais
mais se entristece esse povo num rosário
de contas e promessas num sobe e desce de prantos e preces.
C’est n’est pas um pays sérieux!
já dizia o general.
O que somos afinal?
Um país-pererê? folclórico? tropical?
misturando morte e carnaval?
Um povo de degradados?
Filhos de degredados
largados no litoral?
Um povo-macunaíma
sem caráter-nacional?
Por que só nos contos de fada
os pobres fracos vencem os ricos nobres?
Por que os ricos dos países pobres
são pobres perto dos ricos
dos países ricos? Por que
os pobres ricos dos países pobres
não se aliam aos pobres dos países pobres
para enfrentar os ricos dos países ricos,
cada vez mais ricos, mesmo
quando investem nos países pobres?
Espelho, espelho meu!
há um país mais perdido que o meu?
Espelho, espelho meu!
há um governo mais omisso que o meu?
Espelho, espelho meu!
há um povo mais passivo que o meu?
E o espelho respondeu
algo que se perdeu
entre o inferno que padeço
e o desencanto do céu.


Texto extraído do jornal “
O Globo” – Rio de Janeiro.

 
 

Pontos de vista

ensino-religioso-charge1

Existe no Brasil, hoje uma inversão de valores morais e éticos. Alunos entram em salas de aula, contaminando outros tantos desinformados, reenvindicando ensino gratuito, cotas, e outras esquisitices mais. O que diferencia esse alunos dos outros? Se dizem pobres, negros, e que vieram de escolas estaduais. Deveriam reenvindicar, melhor ensino para as escolas, mas isso deve ser pedir demais

Claro que o ensino deveria ser gratuito, mas para todos brasileiros. Claro que é dificil pra quem vem de escolas municipais e estaduais. Mas existem milhares de pobres brancos, que vão a luta, trabalham de sol a sol, pra pagar sua faculdade. O que diferencia estes dos outros? Nada.

Como se não bastasse todo esse coitadismo, o mundo e brasileiros vem se degladiando em polemizar sobre símbolos religiosos em salas de aula e repartições públicas. Como se todos devessem aceitar uma só religião. Existem hoje, milhares de religiões no mundo. E todas tem sua base voltada a amar o próximo. Muitas dessas religiões se criaram ao longo dos séculos, e nunca foi discutido se elas deveriam ser aceitas ou não. Elas simplismente aconteceram.

Acho sim que nas escolas cristãs, o crucifixo e santos devam estar em salas de aula, como também acho que é indiscutivel conter budas em escolas budistas, e penso ainda que adolecentes devem ir vestidas com véus em escolas muçulmanas, e assim por diante. Mas dizer, que nas escolas estaduais o cruxifixo não deve ser retirado porque afeta os valores morais da Nação, é pedir demais.

Acredito ainda, que as escolas estaduais, deveriam ensinar religiões, Ou seja, debater com as crianças sobre os vários tipos de religiões existentes no mundo. Mas isso deve ser pedir demais, já que aqui, o menos é melhor para os cofres públicos.

A religião é algo muito particular em cada ser humano, e como tal deve ser respeitado. Se seu filho estuda em escola pública, pendure nele uma correntinha com crucifixo, e saberá que ele estará protejido se assim acreditar. Mas não queira impor a outras crianças, sua religiosidade.

Não é a religiosidade que faz uma pessoa ser boa ou má, se isso fosse verdade, nos presídios só haveriam pessoas do bem. O que faz uma pessoa ser boa, é o amor que ela recebe desde sua infancia, e a convivência com pessoas do bem, além da orientação que mostra o caminho certo a seguir. Escolas devem ajudar nessa formação da moral e da ética à todos indivíduos, e não vai ser um crucifixo, um buda, ou velas com galinha, que irão fortalecer tais ensinamentos.

Madame Bê

 
 

Etiquetas:

 
%d bloggers like this: