RSS

Arquivo da Categoria: política

Finado Lula

“Nunca entre num lugar de onde tão poucos conseguiram sair”, alertou Adam Smith. 

“A consciência tranquila ri-se das mentiras da fama”, cravou o romano Ovídio. 
“Corrupção é o bom negócio para o qual não me chamaram”, ensinou o Barão de Itararé.

E na contramão de todos está alguém que abriu mão de si mesmo pelo poder. Lula construiu uma história de vida capaz de arrastar emoções e o levar à presidência. Agora, de modo desprezível, o mesmo Lula destrói-se por completo.

Não é preciso resgatar o tríplex, o sítio ou os 30 milhões em “palestras” para atestar a derrocada do ex-presidente. Basta tão somente reparar a figura pitoresca na qual Lula se tornou.

O operário milionário sempre esbanjou o apoio popular e tomou para si o mérito de salvar o país da miséria. Contudo, junto disso, entregou-se aos afetos das maiores empreiteiras, não viu mal em lotear a máquina pública, nem constrangeu-se em liderar uma verdadeira organização criminosa.

Sem hesitar, brincou com os sonhos do povo e fez de seu filho, ex-faxineiro de zoológico, um megaempresário. 
Aceitou financiamentos regados a corrupção, fez festa junina pra magnatas e mentiu, mentiu e mentiu. O resultado, enfim, chegou: ao abrir mão de si mesmo, Lula perdeu o povo.

Pelas ruas, o ex-presidente é motivo de indignação e fonte de piadas. Lula virou chacota, vergonha, deboche. Restou-lhe a militância do pão com salame e aqueles que tratam a política com os olhos da fé messiânica.

Seu escárnio da lei confirma sua queda. Lula ainda enxerga o Brasil como um rebanho de gado e não percebe que está só, cercado por advogados que postergam seu coma moral. 

Enquanto ofende o judiciário e todos aqueles que não beijam seus pés, Lula trancafia-se na bolha de quem ainda acredita que meia dúzia de gritos e cuspes podem apagar os fatos.

O chefe entrou num mundo sem saída, trocou sua consciência pelo poder e corrompeu-se até dissolver sua essência. 
Lula morreu faz tempo. Restou-lhe, apenas, uma carcaça podre que busca a vida eterna no inferno de si mesmo.

Gabriel Tebaldi é graduado em História pela UFES.

 
 

Só pra deixar claro

Sinceramente não vejo Trump como um vilão. Não o vejo como o cara mau, mesmo porque o cara mau está na Venezuela. 

Vejo Trump como um cara meio caricato, grosso até, que deveria deixar a esposa Twittar em seu lugar. E é claro que ele não mede palavras, age por impulso, e fala o que pensa, típico de quem nunca foi político. 
Até me atrevo a dizer que vejo nele um pouco do meu pai, quando eu era adolescente, apesar dele estar mais perto da minha geração.
Ele parece ter uma certa ingenuidade, e sim, eu posso estar enganada. Não o conheço, mas imagino que não deve ser fácil ser bombardeado diariamente pela imprensa desde a sua campanha. 
Não acho que ele consiga chegar ao final do seu mandato. E pra mim isso tanto faz. Mas convenhamos, eu queria entender o que diabos ele fala de tão ruim pra que ocorra esse tsunami diário de críticas em torno dele.
Se por mais de quatro anos ouvimos sobre “estocar vento, mulher sapiens, mosquita, deixar a meta em aberto, saudação a mandioca, a bola é um símbolo da evolução”…sem nenhum trauma posterior. Eles, os americanos, vão sobreviver por ter que escutar “os dois lados estão errados”, e que “nos dois lados existem pessoas boas e pessoas más”. Quem sabe depois de tudo não fazem como nós, que hoje temos um livro escrito por Celso Arnaldo Araujo, dedicado ao “Dilmês”. 😂
Sem deixar de mencionar, que lá, nos EUA, a economia vai de vento em popa, e o desemprego vem diminuindo. Já aqui, segundo IBGE, temos mais de vinte e seis milhões de desempregados, e quase cinquenta milhões recebendo salário família, segundo informações do site do Planalto. Que equivale, mais ou menos setenta e seis milhões de pessoas, UAU! E o mais incrível, tem quem acha isso uma grande coisa. 
E pra terminar, faltaria ouvirmos da mídia, além de rechaçar o cara lá de longe, dizer que a culpa dos nossos problemas é do Temer, o outro “bad gay” que veio num pacote fechado. 

Madame Bê 

 
 

Impostos, taxas e tributos (cada vez tem mais)

Quando tem um buraco em uma rua qualquer. O que vemos? Um motorista, um pedreiro, um auxiliar, e um inspetor. Pra quê? O próprio pedreiro não poderia dirigir, consertar, inspecionar ao mesmo tempo? 

Quando doentes precisam ser levados até Porto Alegre. O que temos? Um carro com motorista que pega na porta de casa. Pra quê? Na cidade não existe uma empresa de ônibus que poderia ser terceirizada pela prefeitura? Um parente do doente não poderia levá-lo até a prefeitura pra que ele pudesse pegar esse ônibus? Um carro a menos, um motorista a menos…

Quando entramos em um estabelecimento público o que se vemos? Funcionários formigas ou funcionários tartarugas? Se teu pessoal não trabalha como uma formiga, demita! Quem já trabalhou numa fábrica sabe que o serviço deve ser cronometrado, existem metas, todos precisam se adaptar ao que é exigido. Porque numa repartição pública é diferente? Porque as regalias? 

Há algum tempo, soube que aqui em Dois Irmãos médicos cubanos têm direito a motorista, moradia mobiliada, e sabe-se lá mais o quê. Pra quê? Eles não recebem salário? Todos os médicos da saúde tem essas regalias? 

Isso são apenas alguns exemplos. Se uma prefeitura não sabe como fazer pra enxugar o dinheiro que pergunte a sociedade, com certeza sairão ideias geniais. A ferramenta pra chegar até todos já existe e está na palma da mão de 99% das pessoas, é só querer usar.

Geralmente o político se coloca num pedestal. Em vez de achar soluções, manda a conta. Isso tem nome, sabia? Incompetência!

Alguém aqui já viu um prefeito, deputado andando nas ruas como andam em época de campanha? Se pudessem, imagino eu, sobrevoariam pra não sentir o tanto de buracos que tem nas ruas.

De modo geral, não só falando de município mas, também de Estado e País. Tudo o que ouvimos da boca de político é: “precisamos cobrar mais” , ” não existem verbas suficientes”. Acredito que essas frases são uma espécie de mantra.

Chegamos onde chegamos justamente por acreditar que o “socialismo” tiraria o povo da miséria. Ledo engano, os empregos estão sumindo justamente por causa do governo. Mas, dane-se, a conta ficará cada vez maior, e essa teremos que pagar. Os políticos plantaram suas raízes e ainda não sei como vamos sair dessa. 

E o pior é que muitos brasileiros acreditam que suas vidas melhoraram. Não se dão conta de que quanto mais empresas, mais elas competem entre si e mais barato ficam os produtos. E quando o governo cobra, as empresas somem. Não se dão conta de que a tecnologia veio pra ficar. E que todos se beneficiam com ela, tornando suas vidas mais fáceis. Acreditam que o Governo (políticos) melhora a vida da população. Estão errados. O governo tira!

Os políticos do Brasil, na sua grande maioria, são sangue-sugas. Facilitaram a vida deles, nos taxando mais e mais. Fazem leis estúpidas dificultando nossas vidas. Morre pra ver quanto você vai deixar de herança e calcula quanto seus herdeiros vão ter que desembolsar e “doar” pros cofres públicos. Tente comprar ou vender uma casa, e veja quanto de imposto você terá que pagar. Compre um carro e veja o absurdo de imposto embutido. 

É imposto e mais imposto. Taxa e mais taxa. Mas, o que está sendo feito pelo social? Social hoje só compra de votos. Afinal eles precisam se perpetuar no poder. E o que mais me entristece, é ver um bando de baba ovo, iludido com a ideia de que estão prosperando.

Vocês acham mesmo que é uma grande coisa receber bolsa família? Sério, vocês realmente acham que é melhor receber R$ 85,00 do que poder trabalhar e receber R$ 937,00? 

Estamos vivendo tempos difíceis. Ninguém aguenta por muito tempo essa carga tributária que aí está. Vai chegar o tempo em que só os funcionários públicos estarão empregados. Quando isso acontecer, quem vai pagar o salário deles? 

 

FHC criou o socialismo.

Lula corrompeu toda classe política.

Dilma emburreceu toda Nação.

E há muito o PMDB escorrega pro lado que o favorecer. 

E nós, somos um povo idiotizado politicamente, brigamos por siglas, PT, PMDB, PSDB… Me digam por favor, onde está a oposição a todos esses esquerdistas?

Madame Bê

 
 

Em nome da liberdade, precisamos dar um foda-se ao politicamente correto

Em nome do politicamente correto, ataques terroristas são chamados pela mídia de “explosões que matam”, “vans que atropelam” e “armas que atiram”.
Em nome do politicamente correto, humoristas são perseguidos por deputados que usam o poder estatal para censurar todos aqueles que fazem o nobre trabalho de rir dos políticos.

Em nome do politicamente correto, cria-se movimentos racistas para combater o racismo, movimentos sexistas para combater o sexismo e movimentos fascistas para combater o fascismo.

Em nome do politicamente correto, deve-se poupar uma religião de guerra de críticas para evitar ser islamofóbico.

Em nome do politicamente correto, é preferível morrer como ovelha do que combater o mal de forma armada.

Em nome dos direitos liberais à vida, liberdade e propriedade, só há uma coisa a fazer: dar um foda-se ao politicamente correto e estabelecer o politicamente sincero. E os incomodados que se danem.
Por Marcelo Faria

 
 

Estado inchado

Quando o Estado regula o mercado, acontece o que vem acontecendo em quase todo o Planeta.  Ou seja, quem trabalha é forçado a sustentar aqueles que não trabalham, através de impostos altos.
Dessa forma quem não trabalha e recebe benefícios, dificilmente vai tentar mudar sua condição de recebedor. A situação é cômoda.

Além dos juros altos que todos pagamos, a justificativa de o Estado ser mantenedor de empresas estatais para ajudar pessoas menos favorecidas, acaba gerando essa incrível e imoral fábrica de corruptos.

Mas sim, todos precisam viver uma vida digna, todos devem ter direito ao básico.

Mas não, estaria na hora de parar tudo, sentar e repensar, o porque, todo esse assistencialismo não está ajudando em nada a melhorar a situação mundial?
Madame Bê

 
 

Então…

VIVA A INTOLERÂNCIA!

Passei um pacote de dias no Brasil. Pouco, mas o suficiente para comprovar como certas pessoas estão preocupadas com a intolerância. “Mais tolerância”, pedem. “Ai, quanta intolerância”. É bonito clamar por tolerância. É como clamar pela bondade ou pela paz.

Já eu estou orgulhoso dessa intolerância do Brasil. Finalmente! Aqui, nos Estados Unidos, o sistema funciona devido à intolerância. Quem infringe a lei é punido. Ponto. Está estabelecida a igualdade.

No Brasil, a tolerância histórica estabelece a desigualdade histórica. Há sempre justificativa para a tolerância. Ou o sujeito é coitadinho demais ou poderoso demais para ser punido. Ou se tem pena ou medo dele.

O longo braço da lei, no Brasil, não é tão longo. Só alcança aquela que esperneia entre os coitadinhos e os poderosos — a classe média, tão odiada pelos governistas. Os poderosos, como o ministro corrupto ou o nababo assassino, esses estão muito acima do braço da lei (ou estavam), porque têm recursos para se defender. Os coitadinhos, como o punguista da Praça XV ou o menor que apunhala o médico, esses estão muito abaixo da lei. Não ficam na cadeia, são quase inimputáveis.

Sente medo da lei apenas quem tem algo a perder com as penas da lei. Só os infelizes assalariados, tristes contribuintes que, além de financiar com seus impostos um governo ineficiente, ouvem desse mesmo governo que são a pérfida elite branca. E que são intolerantes, quando reclamam.

Os governistas, tão intolerantes com a classe média e com a oposição, agora precisam desesperadamente da tolerância para existir. Seja tolerante, recomendam. Tolere um governo que:

1. Soma 21 ministros denunciados, investigados ou presos por corrupção. Vinte e um ministros! Deve ser algum tipo de recorde.

2. Leva, com sua presidente, 900 pessoas em comitiva para um evento em Paris. Novecentas! Deve ser outro recorde.

3. Causou um rombo de R$ 120 bilhões nas finanças públicas.

4. Mentiu na campanha eleitoral. O que foi admitido pelo próprio Pai Lula.

5. Inchou a folha do Estado com a contratação de 235 mil funcionários, isso só os concursados.

6. Corroeu de corrupção a maior empresa da América Latina, a Petrobras.

7. É suspeito de ter promovido corrupção nos Correios e Telégrafos, na Eletrobras e nos fundos de pensão.

8. É suspeito de praticar corrupção ao captar recursos para campanhas.

9. Fez acordos com as ditaduras mais espúrias do mundo.

10. Usou o BNDES para financiar empresários amigos, como Eike e Odebrecht.

11. Gastou bilhões de dólares para construir quatro estádios onde praticamente não há futebol.

12. Está investindo outros bilhões para patrocinar uma Olimpíada numa cidade em que os hospitais estão falidos.

13. Falhou no controle sanitário e permitiu epidemias.

14. Tem o seu líder no Senado preso.

15. Tem dois tesoureiros do seu principal partido presos.

16. Tem o ex-presidente do seu principal partido preso.

17. Faz uma proposta ideológica de mudança no currículo escolar, acabando com o estudo da história antiga e medieval, e eliminando o estudo dos clássicos da literatura ocidental.

18. Conduz a economia de maneira que a inflação chegue a dois dígitos, que o dólar estoure os R$ 4, que mais de 1 milhão de pessoas percam seus empregos e que empresas comecem a demitir e a falir.

Um governo com tal desempenho precisa, sim, e muito, de tolerância.

Seus bajuladores precisam de tolerância.

Nenhum outro povo toleraria. Só os tolerantes brasileiros.

Sejam, pois, intolerantes, brasileiros! Não deem trégua a eles! Não acreditem nessa conversa de que todos são iguais na desonestidade! Não acreditem que o prejuízo de vocês é o benefício dos pobres! Não acreditem que, saindo um ruim, entrará outro pior! Chega, basta e fora! Viva a nova intolerância brasileira!

Por David Coimbra (Colunista da Zero Hora)

 
 

Top 10 da semana

 

1- Você me pede na carta que eu desapareça. Que eu nunca mais te procure, pra sempre te esqueça…

2- Ministro da Economia ameaça se demitir. Alternativas:

a- Escreva uma carta

b- Copie a carta do vice-presidente.

c- Faça como o filho do chefão, dê um Ctr c, Ctr v

3- Solução do Ministério da Saúde para o zika vírus. Não engravide!

4- O grande toro sentado na grana pede que a população coma arroz sem carne durante a crise.

5- Pancadaria e quebradeira na casa da mãe Joana.

6- A dentuça de vestido vermelho manda dizer ao povo que fica.

7- Ministra da Agricultura joga vinho na cara do nem tão cacique do PSDB. Motivo: “Dá mais que chuchu. em cerca”.

8- A não estocagem de vento atrasa avião para a posse do Presidente vizinho.

9- O índio da cocada branca é indicado para receber o mérito farroupilha. A maior distinção concedida pela Assembleia Legislativa do RS.

10- A generosa se defende das pedaladas afirmando que a culpa é do bolsa capim.

Resumo:

Brasil precisa de faxina, não de Fachin.

 

Madame Bê

 
 
 
%d bloggers like this: