RSS

Arquivo da Categoria: política

Apatia

 

Dessa vez serei a voz do diabo.

Quantos aqui se deram conta dos milhares de post diários sobre maus tratos de animais? É uma epidemia… A maioria do povo brasileiro maltrata cachorros, gatos e afins? Somos todos esses monstros sem coração que muitos postam no facebook?

Ou esses muitos não estariam servindo de camufladores da política nacional?

Sério tenho muitas duvidas…
Estamos assistindo ao pior momento político do Brasil e as pessoas preocupadas com clínicas gratuitas de cachorros?

Os médicos do SUS tendo que escolher quem morre e quem vive por não ter recursos e nem hospitais. O Brasil se tornou o terceiro País mais ignorante do mundo, alguém aqui sabia disso?

Nos tornamos seres apáticos? O que fizeram com nós? O que está acontecendo conosco? Dizemos “prefiro a amizade de um cachorro por esse ser mais leal do que o ser humano”. Onde ficou nossa capacidade de se indignar com o que acontece com nosso semelhante?

Ame o seu bicho de estimação. Ame os animais, mas antes deles ame seu próximo. Ame as pessoas ao seu redor. O valor que você dá ao seu semelhante é de longe mais importante do que qualquer outra coisa deste mundo. Quando você amar de verdade os iguais, o amor aos animais e a natureza virá naturalmente no pacote.

O Brasil está morrendo. E quando ele acabar, você não terá mais nada e ninguém por quem lutar. A não ser um grande vazio.

Se você não sabe, no País vizinho (Venezuela) já começam a comer os tão amados cachorrinhos para matar a fome.

Acorda antes que seja tarde. Bom dia a todos.

Madame Bê

 
 

Mais armas = Menos Crimes

Choice-65877489068

No Brasil o pêndulo da mídia, principalmente na TV aberta, se inclina escancaradamente para o lado do Governo. O que faz dela um fantoche nas mãos de políticos corruptos e sem caráter. E infelizmente o povo que dela se informa, tende a ser manipulado sem perceber.

Um exemplo claro, foi a venda da ideia do desarmamento. “Cidadão sem armas = Mais segurança = Menos homicídios”. E assim a maioria caiu feito pato. E o que vemos hoje no Brasil são CENTO E SESSENTA pessoas mortas TODOS OS DIAS de forma violenta.

Falar ou criar leis em cima do desarmamento é fácil quando se está dentro de carros blindados ou seguido de seguranças fortemente armados. Se você não compartilha da minha forma de pensar, não compre e nem use uma arma, mas não me negue o direito de eu usar a minha.

Madame Bê

 

 

Vergonha Nacional

11244438_837614429659523_1412013404_npolitico-serio

Faz tempo que não escrevo. Queria muito, escrever sobre flores, tempo, cotidiano, mas o que estamos assistindo nos últimos tempos no Brasil, impede-nos de falar amenidades. Já vivemos momentos muito difíceis nesse País. Inflação de até 80%, confisco de poupança, corrupções, mas hoje estamos vivenciando uma crise política jamais vista em lugar algum.

Infelizmente nossos políticos perderam a vergonha. Eles estão debochando do povo de uma forma inacreditável. Frases como:  “Estou me lixando para a opinião pública”, são vomitadas da boca desses imbecis.

Conchavos, acordões, falcatruas, roubos, até cogitam a repatriação de dinheiro ilícito. Os bandidos de “galinhas” estão sendo humilhados com a “esperteza” da máfia que aqui se instalou.

E o povo calado, vivendo suas vidinhas medíocres como se nada do que acontece em Brasília afetasse seu dia a dia. Vamos reagir brasilerada! Deveríamos todos estar nas ruas, indignados com tamanha safadeza.

Há pouco um general do exército foi exonerado por falar o que pensa do governo Dilma. Isso pra mim é ditadura do silêncio. E muitos se queixam da “antiga ditadura militar”, que na minha humilde opinião não foi de longe o que estamos vendo hoje no Brasil.

Se eu fosse do alto escalão do exército, vestiria minhas calças, em vez de me esconder atrás da saia da mulher sapiens, que está definitivamente acabando com a esperança de um futuro melhor.

Não estou dizendo que devam instalar aqui uma nova ditadura, longe de mim dizer algo assim. Mas cá pra nós, isso tudo já passa dos limites.

Odeio falar palavrão, mas a putaria por aqui não terá fim, se nós brasileiros não acordarmos desse berço que acreditam ser “esplendido”.

Madame Bê

 
 

Etiquetas:

O que eu faria se eu fosse a Presidente de um País falido

impostos_abusivos_no_brasil1

Venderia o avião presidencial, e passaria a usar voos normais. Devolveria o cartão corporativo e instigaria todos políticos a fazer o mesmo. Em viagens internacionais levaria apenas dois assessores e me hospedaria em hotéis simples, e baratos. Acabaria com pelo menos 30 ministérios. Privatizaria a maioria das empresas públicas. Evitaria propagandas desnecessárias. Acabaria com o repasse de verbas para MSTs, Ongs e afins; CUT e sindicatos nem pensar. Convocaria Deputados e Senadores a também enxugar os gastos públicos. Deixaria os Países Hermanos por conta própria. E por fim, deixaria de fumar maconha! Isso só pra começar…

 
 

A utopia de Karl Marx

Comunismo-Marx

A precisão e a forma sucinta como o manifesto comunista foi escrito, pode seduzir e muito todo aquele trabalhador que passa seus dias no chão de uma fábrica. Descreve a luta de classes e como o proletariado é esmagado pelo capitalismo. Marx cita as falhas do sistema sócio-político do passado, desde o Egito passando pelos romanos até chegar ao seu tempo.

Os operários segundo ele, são os verdadeiros revolucionários. E para trazer o mundo para o comunismo, os comunistas devem tomar o poder, acabar com a burguesia, extinguir a família, acabar com a religião, e deixar que o Estado eduque as crianças para que todos passem a pensar e agir da mesma maneira.

Lemos então as medidas a serem tomadas, segundo Marx.

1- Expropriação da propriedade latifundiária e emprego da renda da terra em proveito do Estado.
2- Imposto fortemente progressivo.
3- Abolição do direito de herança.
4- Confiscação da propriedade de todos os emigrados e sediciosos.
5- Centralização do crédito nas mãos do Estado por meio de um banco nacional com capital do Estado e com monopólio exclusivo.
6- Centralização, nas mãos do Estado, de todos os meios de transporte.
7- Multiplicação das fábricas e dos instrumentos de produção pertencentes ao Estado, arroteamento das terras incultas e melhoramento das terras cultivadas, segundo um plano geral.
8- Trabalho obrigatório para todos, organização de exércitos industriais, particularmente para agricultura.
9- Combinação do trabalho agrícola e industrial, medidas tendentes a fazer desaparecer gradualmente a distinção entre a cidade e o campo.
10- Educação pública e gratuita de todas as crianças, abolição do trabalho das crianças nas fábricas, tal como é hoje. Combinação da educação com a produção material, etc.

“Uma vez tudo isso concentrado nas mãos dos associados, o poder político o poder público perde seu caráter político”. Aqui é que mora todo o perigo. Uma vez que o poder está concentrado em um pequeno grupo você acredita que largariam o osso?

O manifesto comunista é tão utópico, que patrões e sindicatos sentam na mesma mesa pra discutir quanto o sindicato vai levar na hora de fechar o dissídio.

Aqueles que não compreendem a História estão condenados a repeti-la. Lembrem-se o manifesto comunista foi escrito cerca de 100 anos antes de Stalin chegar ao poder.

Cito aí a situação de Cuba onde a revolução iria abraçar a ideologia marxista e vejam, os trabalhadores foram convidados a permanecer trabalhando 10 horas ou mais por dia e sem pagamento de horas extras. Os bens de consumo sumiram das prateleiras e começou o racionamento de comida. Isso ninguém ouve da boca dos comunistas e não lê nos panfletos deles.

Acredito que o comunismo de Marx ainda é defendido por alguns, porque temos falhas no sistema capitalista. Mas isso não significa que o capitalismo seja um lixo, como ele descreve, ele apenas precisa de pessoas que ajam com ética, para que todos possam prosperar. O que precisa acabar é a ganancia e o abuso de poder.

Então, você que nasceu “escravo” do capitalismo, e hoje luta pela revolução comunista, vai encontrar nela um punho de ferro, uma foice um martelo e a traição de quem chegou no poder. Lembre-se disso!

Madame Bê

 
 

Etiquetas:

10%

52-p-frame-o-verdadeiro-concilio-vaticano-ii

Nos últimos 2000 anos a igreja vem juntando uma incalculável fortuna. Não só a igreja católica, mas também todas aquelas que arrecadam de seus fiéis uma graninha bacana para pelo menos deixar seus pastores, padres, bispos, papas bem longe da pobreza do mundo real. E são esses mesmos que pregam o amor ao próximo, a compaixão, o desapego. Faça o que digo, mas não faça o que faço, lema que seguem à risca. Enquanto doamos 10% de nossos salários para igrejas nossos hospitais, principalmente os do interior do Brasil, passam à mingua.

 

Sim é um problema público, mas no Brasil tudo que é público, é mal administrado. Portanto, questiono aqui: E se em vez de doarmos 10% para igrejas, doarmos esse dinheiro para nossos hospitais? Afinal, quando estamos doentes vamos para um hospital e não para uma igreja. Deus não precisa de dinheiro.

 

Podemos até pagar, por batizados, casamentos, enterros uma quantia qualquer. Garanto que nenhum dos religiosos passaria fome, já que é grande o número de pessoas que faz uso dessas práticas. E em contrapartida teríamos hospitais de primeiro mundo, em todos os cantos desse Brasil. Vamos abraçar essa revolução. Vamos ser revolucionários, não foi isso que o Papa propôs?

 

Madame Bê

 

 

 

Etiquetas: ,

Capitalismo

11099411_488308694667052_3786252524213654946_n

Para início de conversa, quem gosta de miséria são os políticos corruptos.

Em um País sem miséria, existem empresas que geram empregos. Essas empresas produzem  uma porção de coisas para que as pessoas possam comprá-las. Quanto mais as pessoas compram, mais as empresas produzem. Com a alta na produção, essas empresas podem empregar mais e mais pessoas, podendo dessa forma elevar os salários das pessoas que trabalham nessas empresas. Dessa maneira o País cresce até o ponto em que todas as pessoas que ali vivem, podem ter uma vida digna e notem, sem miséria.

É fazendo a roda girar que se extirpa o mal. Caso a frase grafitada no muro fosse verdadeira, o empresário em vez de gerar produtos, colocaria o seu dinheiro em bancos e deitaria o traseiro em uma rede, em uma praia qualquer. Pois hoje no Brasil, você pode ganhar fortunas sem produzir patavina. Um empresário (ricos) quer que as pessoas tenham dinheiro para que os produtos produzidos em suas fábricas sejam comprados. Agora se você ainda acha que a miséria dá lucro, sinto em dizer, seu raciocínio equivale a uma ameba. Não se deixe enganar por esquerdistas e invejosos. Pense e reflita.

Madame Bê

 

 
 
 
%d bloggers like this: